O congestionamento em redes é um problema que pode afetar o desempenho de várias tarefas executadas dentro da rede da empresa. Uma de suas causas é a falta de largura de banda, o que pode ocorrer porque a velocidade contratada pela empresa não é suficiente para atender à demanda ou por algum problema externo.

Por outro lado, há casos em que o excesso de tráfego ocorre por problemas na rede interna, que podem ser solucionados apenas com a adoção de passos simples e rápidos. Estas alternativas contribuem com a qualidade da transmissão de dados e ajudam a manter os serviços importantes operando de forma otimizada.

Para reduzir o congestionamento da rede, é importante entender como ele ocorre e saber diagnosticar o motivo do problema.

Como a rede funciona

Uma das melhores formas de entender como o congestionamento de redes ocorre é comparando sua infraestrutura com a malha rodoviária de uma cidade. Na verdade, vários termos ligados ao gerenciamento de rede – como “tráfego” e “congestionamento” – são usados por terem um significado similar ao que adquirem no contexto da cidade.

Para facilitar a compreensão, basta pensar em cada dispositivo conectado à rede como uma residência. Os dados da rede, quando saem do roteador, seguem por determinado caminho até o aparelho em questão (um caminho que se assemelha a uma rua). Quando há vários dados percorrendo esse caminho, a velocidade deles costuma cair.

Em uma rede doméstica comum, a maior parte dos dados fará o caminho entre o dispositivo de destino (seja ele um computador, video game ou smartphone) e o roteador e, então, para a internet. Neste caso, o roteador atua de forma análoga a uma praça de pedágio.

Ele tem a capacidade de processar uma quantidade limitada de dados por segundo e, quando a demanda é muito alta, o envio deles para o dispositivo final pode ser afetado.

As redes empresariais contam com um sistema que opera seguindo as mesmas regras das domésticas. A principal diferença é que elas costumam operar com uma quantidade muito alta de dispositivos simultâneos.

Por causa disso, é comum que elas tenham dispositivos, como roteadores e switches, especializados para gerenciar uma quantidade muito maior de tráfego e que contem com recursos incomuns para aparelhos residenciais.

Sintomas de congestionamento em redes

Congestionamento

O primeiro passo para resolver o congestionamento de redes é aprender os sintomas que mostram que ele está ocorrendo. Normalmente, ele pode ser identificado por três fatores:

  1. Latência alta: a latência é o tempo entre o envio de um pacote de dados e o seu recebimento. Quando a rede está congestionada, esse tempo aumenta, o que pode resultar em, por exemplo, maior tempo de buffering no streaming e vídeos.
  2. Perdas de conexão: quando o dispositivo está conectado a um serviço, como partidas de games online, é comum que eles troquem pacotes de dados para confirmar que esta conexão ainda está ativa. Quando a rede está congestionada, estes dados não conseguem chegar ao destino a tempo, fazendo com que fique difícil permanecer conectado.
  3. Perda de dados: devido à forma como a transmissão de dados funciona, é comum que muitos pacotes se percam no caminho entre o transmissor e o receptor, especialmente em redes Wi-Fi. Os roteadores modernos contam com tecnologias que ajudam a mitigar o problema, detectando a perda do pacote e enviando cópias para garantir a integridade da informação. Entretanto, quando a rede está congestionada, estes sistemas não dão conta da quantidade de pacotes perdidos, o que pode resultar em perdas maiores.

Dicas para reduzir o congestionamento em redes

A seguir, apresentamos algumas dicas para resolver problemas de congestionamento de rede.

1. Diminuir o número de dispositivos conectados

Em redes domésticas, é comum que o roteador esteja configurado para repartir a largura de banda igualmente entre todos os dispositivos. Quando o número de aparelhos conectados é muito alto, um único deles que esteja desempenhando uma tarefa que exija uma velocidade mais alta pode ser obrigado a diminuir o ritmo e apresentar lentidão.

Isso geralmente ocorre quando há um excesso de aparelhos assistindo a vídeos ou em games online que exigem mais dedicação da largura de banda disponível. Quando isso acontece, uma forma rápida de melhorar a velocidade é desconectar da rede todos os dispositivos possíveis. Dessa forma, uma largura maior pode ser dedicada ao aparelho que precisa dela.

No entanto, é importante frisar que esta dica é apenas um paliativo que pode resolver um problema urgente de forma rápida e simples. Indica-se para últimos casos em redes domésticas, mas não é uma solução permanente para o problema.

2. Atualizar seu hardware

Uma das melhorias que os dispositivos novos recebem é a capacidade de operar com larguras de banda cada vez maiores. Com o passar do tempo, a própria velocidade da internet também cresce. Mas isso é inútil se os dispositivos não forem capazes de operar com este novo fluxo máximo de dados.

Os dispositivos conectados a uma rede sabem qual a velocidade máxima que podem usar para enviar dados. Isso significa que pode haver congestionamento de dados em uma rede com capacidade sobrando apenas porque um dispositivo não é moderno o suficiente para operar na velocidade necessária.

Esse problema não é exclusivo dos roteadores. Qualquer smartphone ou computador que esteja operando no máximo de sua capacidade em tarefas que exijam o envio ou recebimento de dados causa congestionamento de rede.

A atualização, ao mesmo tempo, não significa necessariamente a compra de um equipamento novo. As fabricantes costumam disponibilizar atualizações de firmware para seus dispositivos que introduzem novos recursos e funções. Uma delas, normalmente, é a habilidade de lidar com um volume maior de dados de forma mais eficiente.

O Flashbox, da Anlix, promove a opção da atualização de firmware dos seus roteadores em massa e agendada. Se você é provedor e quer ter essa facilidade com todos os dispositivos na casa dos seus clientes, não deixe de experimentar a solução.

3. Redes Mesh e VLANs

Redes Mesh e VLANs são tecnologias para otimizar o tráfego de dados em redes empresariais, embora, em alguns casos, também existam em redes domésticas.

A rede Mesh é usada para ampliar o alcance de conexão de uma rede sem fio. Sua principal vantagem é garantir que os dispositivos possam permanecer conectados, independente de sua posição em relação ao roteador. Ela usa diversos equipamentos que otimizam o tráfego, fazendo com que não seja preciso enviar os pacotes de dados para dispositivos desnecessários.

O verdadeiro potencial da rede Mesh ocorre quando ela é combinada com uma rede virtual, ou VLAN. Esta tecnologia é usada para permitir que certos dispositivos possam se conectar a redes diferentes usando a mesma estrutura de uma rede física. Isso permite isolar determinados equipamentos e gerenciar sua largura de banda independente de outras.

O cenário mais comum para redes sem fio é que elas tenham apenas um ponto de saída que as conectem com a internet. No entanto, determinadas redes empresariais podem contar com pontos extras. Nestes casos, o administrador de rede pode configurar qual ponto de saída suas redes virtuais usam, evitando assim que as máquinas que tenham tarefas mais pesadas e que precisam de mais largura de banda precisem competir com outros dispositivos pelo limite de dados.

4. Priorizar tipos de tráfego

Algumas atividades de rede demandam uma largura de banda maior que as outras. Por exemplo, uma chamada de voz através da internet é mais sensível a perdas quando comparada a navegar em um site de notícias. Quando isso acontece, o dispositivo desempenhando a segunda tarefa pode ter largura de banda disponível e ociosa, enquanto o outro sente falta de respostas mais rápidas.

Uma das soluções para isso, e que está disponível em muitos roteadores, é a capacidade de ajustar a largura de banda disponível para cada dispositivo e priorizar tipos de aplicações de acordo com as tarefas desempenhadas. Assim, garante-se que todos possam desempenhar funções sem congestionamento de redes.

5. Aumentar a velocidade do sinal

Todas estas dicas pressupõem que o congestionamento ocorre na rede interna do usuário. Entretanto, há vezes em que a lentidão ocorre devido a problemas externos. O mais comum deles é o excesso de uso da largura de banda do provedor.

Isso costuma ocorrer em horários específicos. A melhor solução, nestes casos, é adiar as tarefas pesadas para horários em que o tráfego esteja mais leve.

Por outro lado, o sinal externo pode continuar lento, mesmo que a rede interna esteja otimizada. Nestes casos, uma das soluções possíveis é contratar uma velocidade de internet maior ou verificar com o seu provedor possíveis falhas na rede física.

Por fim, aproveite para conferir este vídeo da Conexão Anlix em nosso canal no YouTube, no qual discutimos detalhes sobre a qualidade do Wi-Fi e como melhorá-la:

Se você é provedor e quer ter uma visão completa da casa do seu cliente, com direito a atualização em massa e agendada de firmware e possibilidade de fazer redes Mesh com aparelhos multimarcas, preencha um rápido formulário e comece a testar o Flashbox!